Gerenciar rede sem fio no Windows 8

Como mostrar todas redes sem fio do computador ou excluir um perfil de rede sem fio

A dica de hoje é rápida, simples e funcional!

Nas versões do Windows após o Windows 7, a opção de gerenciar rede sem fio não aparece mais na Central de Rede e Compartilhamento e agora para poder verificar as redes sem fio que o computador já se conectou é preciso usar a linha de comando (cmd).

Isto é importante quando, por exemplo, uma rede sem fio tem sua senha de rede alterada. Normalmente, se você já conectou naquela rede, aparecerá um “X” na lista de rede sem fio. E para resolver isso é preciso excluir o perfil de rede para reconectar.

Se você também precisa ver a chave de segurança (senha) da rede sem fio é preciso usar a linha de comando. Ou, quando você quer alterar a ordem de prioridade dos perfis para se conectar automaticamente. Vamos lá!

1- Inicie o executar (ou aperte as teclas Windows + R)
2- Digite: cmd
3- Com o prompt de comando aberto, digite a linha de comando desejado:

Para mostrar todos os perfil de rede sem fio do computador
netsh wlan show profiles

Excluir um perfil de rede sem fio
netsh wlan delete profile name=”NomeDaRede”

Monstrar uma chave de segurança (senha)
netsh wlan show profile name=”NomeDaRede” key=clear

Parar de se conectar automaticamente a uma rede sem fio FORA da área de alcance
netsh wlan set profileparameter name=”NomeDaRede” connectionmode=manual

Parar de se conectar automaticamente a uma rede sem fio DENTRO da área de alcance
Clique na rede sem fio que aparece na lista de redes e clique em Desconectar

Ao selecionar “conectar automaticamente” numa rede sem fio, a rede nova ficará no topo da lista.

———————————————————————–

Problemas comuns que estes procedimentos resolve:

– Perfil de Rede Wireless – SSID – aparece um “X” na lista de redes sem fio
– Como excluir uma rede sem fio no Windows 8 para não se conectar automaticamente?

Estudante de SI da Ufac cria aplicativo para o cardápio do RU

O acadêmico do 7º período do curso de Sistemas da Informação da Universidade Federal do Acre (UFAC),  Robledo Gomes, desenvolveu um aplicativo para o Restaurante Universitário (RU) para facilitar a consulta do cardápio do dia. A ferramenta foi inicialmente desenvolvida na plataforma Windows Phone, mas, de acordo com o criador do aplicativo, em breve estará disponível também para sistemas Android.

Foto: Ascom/UFAC

Foto: Ascom/UFAC

Segundo Robledo Gomes, a ideia de criar o aplicativo surgiu da observação da conversa de usuários do RU, que muitas vezes ficam na fila do almoço perguntando uns aos outros qual seria o cardápio do dia, uma vez que não tiveram tempo ou meios de acessar o site da Ufac. “O aplicativo mostra o cardápio de dois dias, mas depende da disponibilização feita pelo nutricionista do RU”, explicou Robledo que foi auxiliado pelo servidor da Ufac, Marcos Thomaz, no desenvolvimento da aplicação.

Para baixar o aplicativo:

Windows Phone: Clique aqui QR Code

Com informações da ASCOM/UFAC

Analista de Sistemas é detido vendendo ingressos da Copa do Mundo por até R$ 4 mil

Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) do Rio de Janeiro anunciaram nesta terça-feira a prisão de duas pessoas – um homem e uma mulher – que vendiam ingressos acima do preço de tabela para jogos da Copa do Mundo.

A prisão dos cambistas faz parte da Operação Torcedor e aconteceu após terem sidos abordados por agentes no centro do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Civil, os dois negociavam as vendas através das redes sociais.

Foto: Decon / Divulgação

Foto: Decon / Divulgação

A mulher, produtora de eventos, foi flagrada vendendo três ingressos para as oitavas de final no valor de R$ 4 mil. O homem, analista de sistemas, estava com quatro ingressos para a mesma fase, e os venderia por R$ 1,5 mil.

Os dois tiveram seus nomes mantidos em sigilo pela polícia. A operação vai continuar até a final da Copa do Mundo, em 13 de julho.

Com informações do Terra.

Cursos gratuitos de linguagem de programação do Codecademy em português

Depois de três anos de espera, os responsáveis pela escola online de linguagens de programação e marcação Codecademy deram uma ótima notícia para os brasileiros, a plataforma finalmente ganhou uma versão em português, com cursos gratuitos de HTML, CSS, JavaScript, jQuery, PHP, Python e Ruby totalmente traduzidos para nosso idioma.

A notícia foi dada por Zach Sims, fundador da empresa, no blog oficial do Codecademy. No texto, o executivo afirma que a adaptação do site para o Brasil – que ainda não foi totalmente concluída, vale dizer – está sendo feita em parceira com a Fundação Lemann.

Fundado em 2002, o grupo tem a intenção de estimular a educação por aqui, sendo ainda o responsável também por trazer a Khan Academy ao país e por fazer a curadoria do YouTube Edu.

Mais idiomas disponíveis…

Por parte da plataforma de cursos, um acordo para tradução de conteúdo ainda foi fechado com uma organização francesa, a fim de traduzir o site para o idioma local.

Parcerias também foram feitas com os governos britânico, argentino e estoniano – mas nesses casos, não para adaptação do site, e sim para estimular o ensino de programação.

Segundo escreveu Sims no comunicado, cerca de 70% dos 24 milhões de usuários do Codecademy já vêm de fora dos Estados Unidos.

Então, nada mais natural do que uma expansão do tipo, que ainda deve incluir, posteriormente, mais idiomas além de inglês, espanhol e português.

Começando as aulas…

Se quiser saber mais e começar as aulas, acesse o site da plataforma clicando aqui. O cadastro é gratuito, assim como todos os cursos disponíveis.

Por ora, as seis linguagens de programação e marcação (HTML/CSS, JavaScript, jQuery, PHP, Python e Ruby) estão traduzidos, mas é de se esperar que os exercícios de projetos, APIs e criação de websites logo apareçam em português.

Link: www.codecademy.com/pt-BR/

Fonte: Exame.com

O que significa o valor de “mAh” das baterias

Quanto mais a mobilidade avança, mais importante vão ficando as baterias e, cada vez mais a sigla “mAh” começa a fazer parte do vocabulário tecnológico. Supostamente, um número maior ao lado destas letras significaria que a bateria dura mais, o que é bom, certo?

Não necessariamente. “mAh” significa “miliampère-hora” e não é uma medida de energia, nem de qualidade, nem de duração da bateria. De uma forma mais resumida, ela significaria a capacidade de armazenamento, o que indica que uma bateria com um maior número de “mAh” é mais resistente do que uma com um menor valor.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Mas essa é uma forma muito simplista de observar o significado. Entrando em um aspecto mais técnico, a medida está relacionada com a quantidade de tempo que a bateria é capaz de suportar uma determinada corrente. E isso está diretamente relacionado ao consumo do aparelho.

Explicando: uma bateria com 2.000 mAh conseguirá abastecer um celular, por exemplo, que consuma 200 mA por até 10 horas. Uma bateria de 3.000 mAh, que teoricamente tem mais capacidade, por sua vez, abastece um aparelho de 350 mA por cerca de 8 horas e meia.

Portanto, de nada adianta ter uma bateria com uma supercapacidade se o aparelho consumir energia demais. E o consumo regrado de bateria passa por escolhas de design inteligentes.

Processadores ultrarrápidos podem ser práticos para usabilidade, mas tendem a gastar mais bateria, assim como telas de alta definição, que também são fatores decisivos para que sua bateria seja sugada. Os softwares também são extremamente importantes nessa questão, porque eles definem a quantidade de processamento que seu dispositivo precisa utilizar.

Então é importante saber: um valor maior de “mAh” realmente define uma bateria mais capaz, mas isso não significa que um celular vai permanecer funcionando por mais tempo que outro só porque a fabricante anuncia um valor maior. Outros fatores de hardware e software precisam ser considerados antes de ser estabelecida a duração de sua bateria.

Fonte: Olhar Digital